14 de Dezembro de 2018

Cidades:

CARAVELAS



Praias

• Praia de Quitongo
Praia fluvial com influência do mar, é protegida pela Ilha Cassumba, situada logo à frente, sendo propícia à prática de esportes náuticos, especialmente a vela, na maré cheia. Aí esta localizada a sede regional do Ibama e um hotel com pier de atracação. É a praia mais próxima da cidade e da Barra do rio Caravelas, fica no Km 1 da estrada que liga a sede do mnicípio aos distritos de Ponjta da Areia e Barra. É margeada pelos exuberantes manguezais e vegetação típica das restingas, incluindo dezenas de pitangueiras e cajueiros.

• Praia da Barra de Caravelas
Em frente ao povoado do mesmo nome, habitado por pescadores nativos. É ponto de atracação de embarcações pesqueiras. O mar é de águas tranquilas e impróprias para banho. Não dispõe de infra-estrutura turística.

• Praia de Grauçá
As amendoeiras seguem a praia por uma grande faixa contínua. De mar calmo, protegida pela ilha Pontal do Sul que compõe a paisagem bem em frente de Barra de Caravelas, a praia de Grauça é muito frequentada por jovens e ecoturístas. Dispõe de infra-estrutura turística com uma concentração de bares, pousadas e restaurantes que movimentam o local. O Museu da Baleia reúne, a céu aberto, o equeleto completo de um animal além de peças que o mar depositou na praia.

• Praia de Iemanjá
A praia é de mar aberto, própria para windsurf e kitesurf, e , em terra, uma única barraca que funciona como bar e restaurante, serve de infra-estrutura para os frequentadores: possui extenso coqueiral.

• Praia da Ponta
A pesca é o principal esporte praticado nessa praia. Animais silvestres como gaviões e corujas frequentam essa praia que é completamente deserta e desabitada. Na paisagem predomina a vegetação de restinga e a Mata Atlântica dá um toque selvagem ao ambiente. Sem acesso para automóveis, a Ponta das Baleias esta protegida na forma de Área de Proteção Ambiental e o melhor meio de alcança-la é caminhando pela reaia ou pela restinga a partir da praia de Iemanjá, em um percurso de dois quilômetros. Uma coroa de areia que avança para o mar serve de marco da Ponta que também é iluminada por um farol da Marinha. Aí é interessante observar, na maré cheia, o choque das águas que vêm do sul com as águas do nordeste. No local, antigos pescadores costumavam desossar baleias, daí a origem do nome.
Ponta da Baleia também é ponto de partida para um trekking até a praia do Zeloris, distante oito quilômetros na direção norte, passando pela praia de lansã, onde é possível praticar camping salvagem. O passio consiste em caminhar pela praia, na ida, e voltar por dentro, passando por trechos de manguezal, restinga e Mata Atlântica para observação de pássaros e macacos. A praia é de mar aberto e completamente deserta.
© 2004 / 2018 Costa das Baleias - Todos os direitos reservados.
DIRECTWEB